Medicamentos e
tecnologias da saúde

A área de Medicamentos e Tecnologias da Saúde tem como principal objetivo fortalecer a política de Medicamentos da região, desenvolvendo conjuntamente com diferentes atores e organismos estratégias que garantam o acesso aos medicamentos essenciais e a sustentabilidade dos sistemas de Saúde.

 

Com a criação do Conselho Sul-Americano de Saúde, a política de acesso universal a medicamentos foi incorporada à agenda da saúde sul-americana (Decisão CJEG 12/2008). Vários avanços foram feitos em relação à implementação desta política regional, incluindo o Banco de Preços de Medicamentos da UNASUL, a abordagem regional sobre a escassez de medicamentos essenciais, a caracterização dos processos de compras públicas, entre outros.

 

Comentando o estudo dos processos de aquisições públicas de medicamentos que descreve a situação atual para os países sul-americanos, um achado preços de referência de fixação particularmente prioritárias para drogas como uma ferramenta indispensável antes de iniciar um processo de aquisição, atualmente nove países aplicar esta modelo

 

Fixação dos preços de referência requer um amplo reconhecimento das fontes de informação sobre o que é a disponibilidade estratégica de informação pública sobre a saúde, situação da droga terapêutica e financeira eo desenvolvimento de plataformas tecnológicas transparentes que Blinden tais processos importantes como de aquisição de medicamentos.

 

Segue-se a consulta de alguns portais de informação de medicamentos disponíveis nos países da América do Sul:

 

– Compra pública de medicamentos essenciais

– Regulamentação de preços de medicamentos

– Agências de saúde de medicamentos

-Avaliação de tecnologias em saúde

Temas de trabalho

 

-Preços de medicamentos

-Propriedade Intelectual

-Avaliação de Tecnologias

Angela Acosta

Angela Acosta

Formada em Química-Farmácia pela Universidade Nacional da Colômbia, tem um Mestrado em Efetividade Clínica e Sanitária pela Universidade de Buenos Aires e é doutoraem Ciências Farmacêuticas com ênfase em Fármaco-epidemiologia pela mesma instituição. Com experiência de 15 anos, já foi líder e assessora no Ministério de Saúde e Proteção Social da Colômbia, no Invima (Instituto Nacional de Vigilância de Medicamentos e Alimentos) e em vários projetos para a OPAS/OMS e o Banco Mundial.

Notícias

18/09/2018

Acesso Universal a Medicamentos Essenciais: experiências recentes e desafios para a região sul-americana

      A saúde como direito fundamental e a integração regional são elementos do horizonte de bem-estar acordado pelos países sul-americanos. Embora tenhamos realizações frente ao acesso aos medicamentos, se faz prioritário buscar e promover cenários regionais de acesso, que não violem os preceitos da essencialidade e relevância de medicamentos como parte de nossos […]

15/06/2018

El problema del Desabastecimiento de Medicamentos Esenciales en el Contexto Global y Regional

El informe del Director General de la Organización Mundial de la Salud (OMS) presentado en la última Asamblea sobre escasez mundial de medicamentos y el acceso a ellos (A71/12) brinda alta relevancia a las situaciones que reconoce como escasez de medicamentos. Coinciden con las reportadas recientemente por los países suramericanos (estudio ISAGS UNASUR 2017) y […]

09/01/2018

Começa o Mapeamento de Capacidade Produtivas de Medicamentos e Insumos e Saúde da Região Sul-americana

Como Entidade Executora do projeto, o ISAGS apoiará o GAUMU para a execução bem-sucedida do projeto, que tem grande relevância para a região sul-americana no seu afã para contar como Sistemas Universais de Saúde, reconhecendo a saúde como um direito fundamental da sua população

06/01/2018

Regulação de Preços de Medicamentos na América do Sul: Resultados e Estratégias Concretas da Colômbia

Em geral, os medicamentos são um componente importante do gasto em saúde. Os dados sobre o total do gasto farmacêutico confirmam essa premissa e também mostram que essa proporção varia consideravelmente entre os países de baixa e alta renda, sendo 19.7% de participação em países de alta renda a 30.4% em países de baixa renda […]

01/01/2018

Começa a execução do Plano Operativo Anual 2018 do ISAGS

Anualmente, o ISAGS submete ao seu Conselho Diretivo as propostas de trabalho do ano seguinte para aprovação no chamado Plano Operativo Anual (POA 2018). O documento reúne e sistematiza as principais ações que serão desenvolvidas pelo Instituto em suas distintas áreas de atuação. “Depois de um excelente ano de atividades e de um bom posicionamento […]

04/12/2017

A sombra do monopólio na Indústria Farmacêutica

Como as práticas anticompetitivas garantem lucros exorbitantes ao mesmo tempo que limitam a capacidade dos Sistemas de Saúde de salvar vidas Nos anais das teorias econômicas liberais, a concorrência aparece como um aspecto fundamental ao funcionamento do capitalismo. Em sua versão perfeita, o mercado seria composto de múltiplos consumidores e múltiplos produtores (a demanda agregada […]