Medicamentos e tecnologias da saúde

A área de Medicamentos e Tecnologias da Saúde tem como principal objetivo fortalecer a política de medicamentos da região, desenvolvendo estratégias – junto à diferentes atores e organizações – que garantam o acesso aos medicamentos essenciais e a sustentabilidade dos sistemas de Saúde.

 

Com a criação do Conselho Sul-Americano de Saúde, a política de acesso universal a medicamentos foi incorporada à agenda da saúde sul-americana (Decisão CJEG 12/2008). Vários avanços foram feitos em relação à implementação desta política regional, incluindo: o Banco de Preços de Medicamentos da UNASUL; a abordagem regional sobre a escassez de medicamentos essenciais; a caracterização dos processos de compras públicas, entre outros.

 

No contexto da pesquisa sobre os processos de aquisições públicas de medicamentos, que descreve a situação atual para os países sul-americanos, uma descoberta em particular priorizou a fixação de preços de referência para medicamentos como uma ferramenta indispensável ao dar início a um processo de compras. Atualmente nove países aplicam este modelo

 

A fixação de preços de referência requer um amplo reconhecimento das fontes de informação. Por isto, é estratégica a disponibilização de informação pública sobre a situação sanitária, terapêutica e financeira dos medicamentos, assim como o desenvolvimento de plataformas tecnológicas transparentes que ajudem a blindar processos tão importantes como os de aquisição de medicamentos.

 

A seguir, facilitamos uma relação de portais de informação sobre medicamentos, disponíveis nos países da América do Sul:

– Compra pública de medicamentos essenciais

– Regulamentação de preços de medicamentos

– Agências de saúde de medicamentos

-Avaliação de tecnologias em saúde

 

Temas de trabalho

-Preços de medicamentos

-Propriedade Intelectual

-Avaliação de Tecnologias

Angela Acosta

Angela Acosta

Formada em Química-Farmácia pela Universidade Nacional da Colômbia, tem um Mestrado em Efetividade Clínica e Sanitária pela Universidade de Buenos Aires e é doutoraem Ciências Farmacêuticas com ênfase em Fármaco-epidemiologia pela mesma instituição. Com experiência de 15 anos, já foi líder e assessora no Ministério de Saúde e Proteção Social da Colômbia, no Invima (Instituto Nacional de Vigilância de Medicamentos e Alimentos) e em vários projetos para a OPAS/OMS e o Banco Mundial.

Notícias

18/09/2018

Acesso Universal a Medicamentos Essenciais: experiências recentes e desafios para a região sul-americana

      A saúde como direito fundamental e a integração regional são elementos do horizonte de bem-estar acordado pelos países sul-americanos. Embora tenhamos realizações frente ao acesso aos medicamentos, se faz prioritário buscar e promover cenários regionais de acesso, que não violem os preceitos da essencialidade e relevância de medicamentos como parte de nossos […]

15/06/2018

El problema del Desabastecimiento de Medicamentos Esenciales en el Contexto Global y Regional

El informe del Director General de la Organización Mundial de la Salud (OMS) presentado en la última Asamblea sobre escasez mundial de medicamentos y el acceso a ellos (A71/12) brinda alta relevancia a las situaciones que reconoce como escasez de medicamentos. Coinciden con las reportadas recientemente por los países suramericanos (estudio ISAGS UNASUR 2017) y […]

09/01/2018

Começa o Mapeamento de Capacidade Produtivas de Medicamentos e Insumos e Saúde da Região Sul-americana

Como Entidade Executora do projeto, o ISAGS apoiará o GAUMU para a execução bem-sucedida do projeto, que tem grande relevância para a região sul-americana no seu afã para contar como Sistemas Universais de Saúde, reconhecendo a saúde como um direito fundamental da sua população

06/01/2018

Regulação de Preços de Medicamentos na América do Sul: Resultados e Estratégias Concretas da Colômbia

Em geral, os medicamentos são um componente importante do gasto em saúde. Os dados sobre o total do gasto farmacêutico confirmam essa premissa e também mostram que essa proporção varia consideravelmente entre os países de baixa e alta renda, sendo 19.7% de participação em países de alta renda a 30.4% em países de baixa renda […]

01/01/2018

Começa a execução do Plano Operativo Anual 2018 do ISAGS

Anualmente, o ISAGS submete ao seu Conselho Diretivo as propostas de trabalho do ano seguinte para aprovação no chamado Plano Operativo Anual (POA 2018). O documento reúne e sistematiza as principais ações que serão desenvolvidas pelo Instituto em suas distintas áreas de atuação. “Depois de um excelente ano de atividades e de um bom posicionamento […]

04/12/2017

A sombra do monopólio na Indústria Farmacêutica

Como as práticas anticompetitivas garantem lucros exorbitantes ao mesmo tempo que limitam a capacidade dos Sistemas de Saúde de salvar vidas Nos anais das teorias econômicas liberais, a concorrência aparece como um aspecto fundamental ao funcionamento do capitalismo. Em sua versão perfeita, o mercado seria composto de múltiplos consumidores e múltiplos produtores (a demanda agregada […]