Interferência da Indústria de Alimentos nas Políticas de Etiquetagem de Processados

15/03/2019

Esta publicação analisa iniciativas inovadoras de rotulagem de alimentos como estratégias de alguns países da América do Sul para fortalecer a alimentação saudável. A região tem sido líder mundial nesta área. As experiências da Bolívia, Chile, Equador, Peru e Uruguai oferecem lições importantes para os vizinhos.

A transição nutricional para o consumo de produtos processados com alto teor de gorduras, sódio, açúcares e calorias é um dos elementos envolvidos na pandemia da obesidade do século XXI. Apenas entre 1980 e 2013, a soma mundial de casos de sobrepeso e obesidade cresceu 27,5%, para adultos, e 47,1%, para crianças. Por essa razão, medidas nacionais para aumentar a visibilidade da composição de alimentos industrializados procuram combater essa tendência global com informação.

A equipe de Francisco Armada, Isabel Iturria Caamaño e Juan Bacigalupo aponta no relatório que “têm documentado vários interferência da indústria estratégias, porque os interesses comerciais são contrários ao direito à saúde e desenvolvimento das políticas de alimentação e nutrição saudável”.

 

Compartilhar