Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública da UNASUL (RESP/UNASUL) é realizada em Santiago, no Chile

17/12/2014 - ENSP - ENSP

Foi realizada, entre os dias 10 e 12 de dezembro, na Escola de Saúde Pública Dr. Salvador Allende/Universidade de Chile, em Santiago, a 3ª Reunião da Rede de Escolas de Saúde Pública da Unasul (Resp/Unasul), rede na qual a ENSP representa o Brasil e ocupa a Secretaria Executiva. Do encontro, decidiu-se pela produção conjunta de um documento técnico sobre o panorama da Formação de Saúde Pública na região, atividade que será conduzida pelos representantes de Uruguai e Chile, além da aprovação da proposta de Oficina para discutir e avaliar a Educação profissional e Superior. A ENSP foi reconduzida à Secretaria Executiva da Resp para o período 2015-2016.

Com ativa participação de representantes de 9 dos 12 países membros da Unasul, discutiu-se, ao longo do encontro, alguns do principais desafios da formação em Saúde Pública na região Sul-Americana, entre os quais a necessidade de qualificar gestores e processos de serviços, programas e sistemas de saúde, a dificuldade de qualificação, provisão e retenção de profissionais de saúde em áreas remotas, a importância de se estabelecer critérios comuns de qualidade para a formação e a qualificação em Saúde Pública e a necessidade de harmonizar as ofertas educacionais às prioridades dos serviços, programas e sistemas de saúde na região. Os países participantes foram Bolívia, Brasil, Chile, Colombia, Equador, Paraguai, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Na condição de Secretário Executivo da Rede, o Diretor da ENSP, Hermano Castro, acompanhado do Vice-Diretor de Escola de Governo em Saúde, Frederico Peres e do Diretor da Escola de Saúde Pública Chilena, Óscar Arteaga, conduziram a agenda de trabalho ao longo dos três dias de Reunião, que foi organizada em duas partes.
No primeiro momento, realizado no dia 10/12, foram abordados aspectos relacionados ao funcionamento e ao planejamento estratégico da Rede, incluindo a discussão e a aprovação do Regulamento para a Rede e a discussão e aprovação do Plano de Trabalho 2015-2016, no qual cada um dos nove representantes dos países presentes à Reunião propuseram e assumiram compromissos para o aprimoramento da capacidade formativa na região. Nessa primeira parte do encontro, participaram apenas os representantes das instituições e órgãos indicadas pelos Ministérios da Saúde de cada um dos países membros.
No segundo momento, realizado ao longo dos dias 11 e 12/12, foram discutidos os desafios da formação e da qualificação profissional em Saúde Pública observados em cada um dos países presentes à Reunião. Para essa segunda parte, foram convidadas Escolas de Saúde Pública e outras instituições formadoras da região, que puderam contribuir com sua experiência e intercambiar exemplos positivos e negativos dentre diversos programas que foram e seguem sendo oferecidos por cada uma dessas instituições. A atualização das informações dos países sobre suas capacidades formativas em Saúde Públicas, apresentada por cada um dos presentes durante o segundo dia da Reunião, mostrou momentos e estágios de desenvolvimento distintos nesses países, em termos de suas políticas nacionais de Saúde Pública e de formação em saúde, mas também apontou uma série de desafios comuns.
Para Hermano Castro, as apresentações mostraram que cada país vem encontrando sua forma de enfrentar o contexto atual de mercantilização da saúde, em particular na oferta de serviços de saúde e na estruturação de seus programas de saúde, envidando esforços para aprimorar cotidianamente a formação de trabalhadores e gestores dos programas e serviços de Saúde Pública na região.
Consonante com o Diretor da ENSP, o coordenador sub-regional de Recursos Humanos em Saúde da Opas/OMS, José Francisco García, ressaltou o panorama atual dos sistemas de saúde da região que, segundo sua palavras, vive uma verdadeira “epidemia de reformas de saúde”, o que abre novas oportunidades de formação profissional para os programas, serviços e sistemas de Saúde Pública e reforça a importância estratégica de uma rede como a Resp.
Representando a Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública do Brasil, estiveram presentes à reunião os professores da ENSP Caco Xavier e Francisco Salazar, que puderam contribuir não apenas com a experiência da formação e da condução da Rede brasileira, como também coordenaram uma rica e participativa discussão sobre os princípios e valores envolvidos com a participação e a associação de instituições em rede, sobretudo numa perspectiva educacional e de formação profissional.
Para Frederico Peres, os avanços obtidos durante a Reunião – em particular a definição e o comprometimento dos países em torno de um Plano de Trabalho bianual, bem como as apresentações das capacidades formativas em Saúde Pública nos 9 países presentes  – deverão repercutir na estruturação e na consolidação do papel estratégico dessa Rede junto a Unasul e às Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública na região.
Durante a plenária final, todos os presentes – incluindo representantes da Organização Pan-americana da Saúde e das escolas de saúde pública do Chile manifestaram os avanços  quanto à capacidade e à qualidade da formação em Saúde Pública da região, ao mesmo tempo que lembraram que ainda persistem, na região, diversos desafios estruturais e de carência de recursos – de diferentes níveis – para o enfrentamento dos quais a associação de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública pode trazer muitos produtos interessantes.
Por fim, foi decidida a criação de um Plano de Comunicação para a Resp, que contemple o desenvolvimento de instrumentos e canais de comunicação para facilitar o intercâmbio de informações em experiências no âmbito da RESP/UNASUR, bem como o fortalecimento de repositório institucionais para teses, dissertações, artigos e outros produtos de investigação e informação técnica estratégica para a área e a edição de um informe periódico da Rede.
Compartilhar